Uma Nova Caça as Bruxas

O cigarro a muito tempo atrás foi símbolo de status, algo elegante e bonito. Não era atoa que muitas figuras importantes fumavam, como: Orson Wells, Marilyn Monroe,  Jean Paul Sartre, entre outros. Podendo fumar livremente em qualquer lugar, até mesmo apresentando um tele jornal, como no filme “Boa noite, Boa sorte”. Hoje as coisas mudaram, hoje o cigarro é o arquinimigo da sociedade. Os “bons cidadãos” querem que os fumantes parem de fumar e que o cigarro seja banido dela. Concordo que nem todos gostam de fumar ou ficar respirando fumaça, porém, a campanha contra o cigarro anda passando dos limites.

Nos últimos tempos vendo os tele jornais, propagandas em televisão, outdoors e outros tipos de marketing apelativos contra o cigarro. Percebo que se criou uma luta contra o tabagismo que algumas vezes vale até mentir descaradamente para convencer alguém a não fumar. Antes era só pequenas propagandas contra cigarro, sobre seus males e doenças que pode causar, agora, se faz sutilmente (é o que percebo) uma propaganda contra o fumante. Com isso veio uma nova onda de preconceito contra os fumantes. Não duvidaria que tudo isso pode levar a um tipo de ditadura da “boa saúde”, e fumantes sejam maus vistos (o que já acontece de forma sutil) pela sociedade, como párias. Hoje até novelas de televisão fazem apologia contra o cigarro. Agora paramos para pensar, e vejamos os alguns fatos.

De um lado está os fumantes, alguns fumam porque sente um certo prazer, e do outro está os paladinos da saúde que estão contra o cigarro e pelo visto contra os fumantes. Nos últimos tempos há cada vez mais um intolerância contra o fumante, cada vez se faz leis contra os fumantes. Com a desculpa que se faz leis contra o tabagismo para salvar os cidadãos do vício do cigarro, e o velho blá, blá, blá de sempre.

Primeiro começaram com uma divisão dentro de alguns estabelecimentos, com áreas de fumantes e não-fumantes. Depois veio a exclusão destas áreas de fumantes e só poderia fumar ao ar livre, mas existiam alguns lugares como casas noturnas, pub’s, bares e até restaurantes que ainda se autorizava fumar no interior destes. Porém alguns estados adotaram leis contra o uso do cigarro em lugares fechados e os fumantes teriam que sair para fumar, sempre do lado de fora dos ambientes frequentados.

Se o cigarro faz tão mau assim, por que ainda tantas pessoas continuam fumando?  Por que há algumas pessoas mesmo com tanta propaganda contra acabam se tornando fumantes? A resposta é simples : estás propagandas estão perdendo o sentido, suas campanhas não é mais contra o cigarro, o ataque agora é contra o fumante.

Cada vez mais as pessoas criam este preconceito contra os fumantes, pensando que estão se dirigindo contra o cigarro, usando a desculpa que querem salvar o indivíduo contra o vício do cigarro. A verdade é que estas pessoas estão é contra o próprio fumante, não percebem que algumas vezes são impertinentes e se acham no direito de agir de forma indevida com o fumante. Repetindo a mesma ladainha da mídia do senso comum.

Estes tais paladinos da saúde tem que se concientizar que hoje sua luta contra o tabagismo é uma luta que pode passar do limites, sendo que está passando, e está mais canalizada num tipo de preconceito contra o fumante. Algumas vezes eu penso que na verdade esse preconceito contra o fumante é para fechar a lacuna de outros preconceitos que agora são punidos como crimes. Como não existe mais onde os preconceituosos descontarem suas frustrações, elas descontam seu preconceito contra o fumante. É algo a se pensar.

Anúncios